Clara Gomes

by

Clara Gomes é de Petrópolis, desenha desde criança e é a criadora das tirinhas Bichinhos de Jardim (iniciada no jornal de Petrópolis e que depois ganhou site próprio).
Participou recentemente da MSP+50 – edição comemorativa da Maurício de Sousa Produções com a Turma da Mônica sendo retratada por 50 artistas brasileiros.

RM: Pessoas que gostam de desenhar geralmente acabam gostando de quadrinhos. No seu caso, o que veio primeiro? A paixão pelos quadrinhos ou a paixão pelos desenhos? Havia algum desenhista na família?
Minha paixão inicial foi o desenho, começou antes de aprender a ler. Era uma tentativa de me apropriar do mundo, de reinventá-lo pelas minhas mãos, capturá-lo. Meu pai desenha um pouco, tive um primo que também arriscava desenhos, mas nenhum profissional. Esse fascínio parece que nasceu ‘embutido’ em mim.

RM: Quais os quadrinhos que você lia quando criança? Qual era o seu favorito?
Eu lia basicamente Mauricio de Sousa. Adorava a Mônica. Mas sempre gostei de ler muito, livros de literatura infantil, revistas, almanaques…

RM: Durante a sua graduação na UFRJ você vivia em Petrópolis? Como era morar na serra e estudar no Fundão?
Ih, era uma encrenca de ônibus pra lá e pra cá, horas e horas perdidas… Mas como eu estava bem jovem e ainda não tinha emprego, até que nem foi tão sofrido. Acho que quem sofreu mais foram meus pais, trabalhando pra me manter nesse período.

RM: Você saberia precisar o “nascimento” dos Bichinhos de Jardim como os conhecemos hoje? O momento em que a ficha caiu e você decidiu: “É essa linha que vou seguir!”
Não foi nada planejado. Eu fazia tiras do finado “Jujubinha” pro jornal de Petrópolis, mas já tinha enjoado. Aí cismei (sorte ter essa liberdade lá) e tracei Caramelo e Brigitte, de qualquer maneira, pra iniciar o ano seguinte (2000, se não me engano), com uma série nova. Como não tinha o blog ainda e os leitores (se é que existiam) não faziam contato comigo, ninguém reclamou. Aí continuei! Com o passar do tempo é que eles foram ganhando a forma e o jeito que conhecemos.

RM: Como surgiu a oportunidade de publicar os Bichinhos na Tribuna de Petrópolis?
Foi através de um concurso de desenho promovido pelo jornal para os leitores – sim, eu era leitora do suplemento infantil na época!

RM: O site dos Bichinhos de Jardim estreou em 2006. Como foi isso?
Surgiu de uma necessidade de portfolio, na verdade. Eu não imaginava que a interação fosse crescer e influenciar tanto o trabalho, mas já observava o fenômeno que era o site dos Malvados, do André Dahmer, na época.

RM: Qual é o perfil do leitor dos Bichinhos de Jardim?
Os Bichinhos de Jardim são lidos por adolescentes e adultos, basicamente. São pessoas sensíveis, curiosas, algo diferentes da grande massa que usa a internet para extravasar raiva ou pra rir de escatologias. Eles procuram um humor suave, com pitadas de ironia, mas sem violência.

RM: Conte para nós como aconteceu o convite para a MSP+50.
Foi a partir de um contato do queridíssimo Sidney Gusman, figura importantíssima entre os estudiosos de quadrinhos no Brasil e braço direito da MSP produções. Fiquei muito feliz, foi um sonho poder retratar os personagens que tanto me divertiram na infância. Mauricio é genial!

RM: No dia a dia, seu trabalho é o design. Mas o que você faz especificamente? Design de livros, de sites, impressos?
Trabalho atualmente desenvolvendo ilustrações e tratamento de imagens para livros didáticos de educação à distância.

RM: Com o sucesso dos Bichinhos, mudou alguma coisa na sua relação com seu trabalho?
Que bom que você considera um sucesso! Eu sinto um pouco mais de responsabilidade, já não posso tomar qualquer decisão com relação aos personagens e ao site, respeito muito o público e penso bastante no que escrevo, em como isso pode afetar a vida das pessoas.

RM: Como você avalia hoje o mercado de trabalho de Design?
Estou um pouco afastada desse meio, mas acho que ainda há muitos curiosos que tiram o trabalho de profissionais competentes. A culpa disso não é de um ou outro “sobrinho-que-mexe-no-photoshop-e-faz-logotipos”, mas sim do sistema educacional que não contempla as imagens. As pessoas são analfabetas visuais, portanto não sabem o valor do trabalho do designer. Como não entendem, preferem contratar o carinha mais barato a pagar por alguém que realmente sabe o que está fazendo. O resultado é essa poluição visual, excessos de toda ordem, mau gosto, pobreza…

RM: Pode-se dizer que o trabalho de cartunista ainda é predominantemente masculino? Se sim, a que acha que se deve isso?
É uma pergunta recorrente. Difícil resposta. Acho que o humor ainda é muito masculino, as mulheres riem menos de si mesmas. A quantidade de mulheres comediantes também é pequena, exige uma certa coragem pra dar a cara a tapa, sem cair em estereótipos (mulher burra, feia, neurótica)…

RM: Além dos desenhos e dos quadrinhos, quais são seus interesses?
Amo música e teatro. Sempre que posso, componho, escrevo peças… Espero ter muitas vidas ainda pra poder me dedicar a todas as artes.

RM: Quais quadrinhos ou autores de quadrinhos você considera indispensáveis hoje?
Não sou uma ávida leitora de quadrinhos, na verdade. Mas gosto muito de Bill Waterson, dos argentinos Quino, Liniers e Tute e dos brasileiros André Dahmer, Arnaldo Branco, Estevão Ribeiro, Pablo Carranza, Raphael Salimena… Tem mais gente, gente muito boa por aí.

RM: Gosta de mangá?
Já gostei da estética quando era criança, mas conheço muito pouco.Tenho um amigo, o Sami Souza, que me apresenta muitas coisas bacanas da cultura japonesa de quadrinhos. Aprendi com ele que precisamos ter a mente aberta para tudo.

RM: Para fechar: a Maria Joana é quase onipresente nas tirinhas. Ela é a sua favorita?
Ela é meio coringa, tipo uma válvula de escape, acho.

Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: